desabafos aleatórios.

Eu sinto sua falta. Saudades, sabe?
Mas… Não acho que você sente a minha.
E eu ainda to com raiva, meses depois, sim. Porque eu poderia ter aproveitado mais tempo com você. Mesmo sem fazer nada.
Mas não, sabe-se lá por que, não pude. Talvez fosse pedido, combinado, pode ter sido por escolha sua. Mas “não deu”. E vocês combinando coisas e nem pra me avisar antes… se eu não pergunto, né?

E ficou todo mundo, todo mundo, inclusive amigos que, caso eu estivesse dando uma de louca, me falariam. Todo mundo achou meio absurdo esse tempo não ser maior comigo. Tudo bem querer dividir esse tempo, mas dividir. DIVIDIR. Não foi dividido, e se teve mais tempo é porque eu fiquei claramente chateada e quis implorar. Ou você percebeu que eu tava quase chorando e mudou de ideia sobre ficar um pouco mais? Então deixa eu te revelar: não tava com tanta cólica não. Era uma desculpa caso eu não conseguisse segurar mais o choro porque bem, claramente você não queria ficar, você queria voltar. Foi pra me agradar. E eu odeio que façam algo só pra me agradar. Se vai fazer então não deixa eu perceber. Até pela pressa em ir embora de manhã.

Não vou nem entrar no mérito importância, porque seria cruel, mas não vou dizer que não pensei dessa forma, porque eu pensei. É que talvez fosse cruel comigo. Assumir ou enxergar que, realmente, eu acho que tinha mais importância do que realmente tinha. Aquela coisa da expectativa ser culpa da gente por nos darmos mais importância do que temos realmente.
A expectativa às vezes é culpa nossa. Nos sentimos/achamos mais importantes do que realmente somos, sendo que às vezes tá claro que estamos errados…

Eu tenho medo de não ter mais nenhum dia pra aproveitar. De ter tido só aqueles e não ter aproveitado. E não te ver mais. E eu me sinto sim sem importância às vezes. Eu tenho medo de que, se houver outras chances, elas continuam tendo que ser compartilhadas dessa forma.

Não sou egoísta assim, como pode soar, eu juro que não sou. Mas foi muito ruim, sabe? E eu, uma pessoa que preza os amigos porque são eles que nos seguram quando as coisas dão errado, não posso confrontar isso, não é? Iria contra o que eu mesma acho.

E me incomoda, porque eu to sempre com saudades, mas não recebo um “to com saudade também.” Não sinto como se eu tivesse deixado marca. Não sinto como se fosse verdade, às vezes, que tenha continuado. Por quê? Por que isso continuou?

E que por isso eu simplesmente decidi não falar mais o óbvio. Porque não se pode fazer nada mesmo, né? Com essa saudade, com essa “competição” (mas eu não estou competindo, nunca estive… só foi… ruim…)

Ok, não é seu jeito ficar falando essas coisas, eu entendo de verdade isso. Mas ao mesmo tempo, se tu não sentisse saudade, por que continuaria aqui?

Eu preciso saber que coisas que eu falo que incomodam, que você não gosta, que são meio “ei, não posso fazer nada, por que você tá me dizendo isso?”

Sei que não é costume, mas sempre, sempre que pergunto “tudo bem” você não retribui pra saber se eu to bem. Outro dia eu tava com dor de estômago e não vi um “melhorou”? Eu também esqueço de perguntar quando tenho muita intimidade com a pessoa, já chego falando. Passa batido. Assim como esqueço de perguntar depois se melhoraram, quando falam que não estão bem. Mas com você eu não esqueço. E droga, isso sim já foi conversado antes. Mas não adiantou nada…

Por que parece que só eu sou “esquecida”, deixada pra depois e sim, to falando de mensagens ignoradas também.

E principalmente, eu odeio muito me irritar com essas coisas porque em parte são sim, bobagens, tem tanta coisa pior, tanta gente pior, atitude pior, e tudo que eu faço é me incomodar com as pequenas coisas.

Óbvio que não poderia ser perfeito, sinceramente nem quero que seja. Mas… alguns pontos fazem tanto sentido…

Ainda assim, consigo agradecer por esse relacionamento. Mas será que nunca brigamos porque eu nunca falei a maioria das coisas aqui?

Isso poderia ser conversado e resolvido, mas eu não quero.

Eu sempre sou a louca, a carente, a que vê coisa e interpreta coisa onde não tem. E quem disse isso foi a minha cabeça. Talvez uns sonhos. Inseguranças, sim. É por isso que eu to escrevendo em vez de falar, pra esvaziar e pensar de fora. Ver o que é verdade e o que faz sentido. Medir. Ponderar.

Fim de desabafo.

 

[ se você me conhece, eu não lembro pra quem já passei esse blog. ignora. mas eu realmente gostaria que você se pronunciasse e me falasse que lê aqui. não vou parar de postar por isso, e agradeceria muito. ]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s