transtorno.

Essa ansiedade já dói como um soco
Não vou fingir
Sorrisos sem brilho e nem cor
Eu não vou jogar seu jogo

Vou me libertar
Tentar chorar
E me machucar pra sarar
Deitar sem ar

Faça não doer
Faça tudo desaparecer
Tanto caos, toda voz
Diz que pra sobreviver
É preciso se esconder

Distante

Mal posso me enxergar, estou longe de mim
E só de pensar em voltar a me ver
Meus olhos fecham de novo

Vou me libertar
Tentar chorar
E me machucar pra sarar
Deitar sem ar
Sem ar
Deitar
Sem ar

O teto está prestes a cair
E o chão ameaça ruir
E eu já nem sei o que me prende aqui
O que me prende aqui?

Faça não doer
Faça tudo desaparecer
Tanto caos, toda voz
Diz que pra sobreviver
É preciso se esconder

Cinzeiro cheio é sinal de dor
Só mais um cigarro
Só mais um minuto sentado aqui
Só mais um segundo
Preparar, apontar, puxar o gatilho

menores atos

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s