transtorno.

Essa ansiedade já dói como um soco
Não vou fingir
Sorrisos sem brilho e nem cor
Eu não vou jogar seu jogo

Vou me libertar
Tentar chorar
E me machucar pra sarar
Deitar sem ar

Faça não doer
Faça tudo desaparecer
Tanto caos, toda voz
Diz que pra sobreviver
É preciso se esconder

Distante

Mal posso me enxergar, estou longe de mim
E só de pensar em voltar a me ver
Meus olhos fecham de novo

Vou me libertar
Tentar chorar
E me machucar pra sarar
Deitar sem ar
Sem ar
Deitar
Sem ar

O teto está prestes a cair
E o chão ameaça ruir
E eu já nem sei o que me prende aqui
O que me prende aqui?

Faça não doer
Faça tudo desaparecer
Tanto caos, toda voz
Diz que pra sobreviver
É preciso se esconder

Cinzeiro cheio é sinal de dor
Só mais um cigarro
Só mais um minuto sentado aqui
Só mais um segundo
Preparar, apontar, puxar o gatilho

menores atos

 

Anúncios

O retorno da Jedi

Não, pera hahahaha

Resolvi voltar, assim, do nada, sem pensar muito.

Eu realmente amo esse blog demais pra largá-lo… também vou voltar ao outro, mas esse eu realmente pretendo manter anônimo. hahah

Então, não acho que eu tenha muita coisa no momento a ser contada… Claro que do tempo do último post até hoje já coleciono algumas decepções, que novidade né?

Mas vida que segue… sigo esperando, apenas esperando…

Veremos se volto logo ou se demoro mais um pouco a voltar, espero ter um pouco de criatividade e inspiração pra escrever mais, mesmo que sejam algumas poucas porcarias ou desabafos…

 

Até mais, eu acho.

Ei, você que veio parar aqui, seja por me seguir, por ter me visto em algum lugar, jogado no Google, sei lá, hahaha

Deixa um comentário pra mim, nem precisa se identificar, só deixa um oi! ❤

See ya.