deduções.

Odeio reler aquilo que escrevo, mas resolvi entrar e ler como se eu fosse outra pessoa.

E é tão impressionante como é possível tirar tantas conclusões diferentes de um mesmo texto.

Eu poderia dizer que algum texto ou fase foi por estar sofrendo de amor. Ou sofrendo de viver. Ou qualquer outra coisa, quando nem era…

E isso serve pra qualquer texto, pois só quem escreveu sabe o real sentimento daquele momento, daquelas palavras.

É tudo uma questão de perspectiva. Eu acho que a sua opinião sobre um bom livro pode ser influenciada pelo momento da vida que você o leu.

Por isso eu gosto de ler os meus livros preferidos duas vezes, com certo intervalo. É bom pra ver também o quanto eu mudei, quanto minha visão mudou, amadureceu ou regrediu.

É incrível que dependendo da pessoa e das visões  que cada um tem de mundo, a opinião sobre uma mesma frase pode ser muito distinta.

Pensando dessa forma, aprendi a deduzir menos, observar mais, tirar menos conclusões pois “pensei que fosse isso” nem sempre está correto. E opiniões mudam.

A verdade é que quase nunca estas deduções são realmente corretas, mesmo quando conhecemos, ou achamos que conhecemos bem alguém.

E esse alguém pode ser nós mesmos.

Anúncios