visão de pintura

Vinda de um lugar escuro e fechado, passei pela porta.

A visão era magnífica. Onde eu estive? Por que resolvi sair?

Eu estava em um quadro? Era um lugar lindo.

Ventava muito, o que ajudou a secar o meu rosto. Eu sentei na areia, não sentia meus pés, mas não me importava. Era como se o chão não estivesse ali, de qualquer forma.

Olhei para o horizonte, o céu tinha tons de roxo, azul, laranja e amarelo: pôr-do-sol, ou amanhecer?

Devia ter ficado tempo demais lá dentro.

Eu sentia como se algo estivesse acabando, mas eu sentia uma paz inexplicável, uma imensa paz, liberdade.

Lembrei que não sentia meus pés, não era uma sensação confortável, mas ainda assim, eu estava envolta numa tranquilidade que nunca senti antes, não me importei até que me tornasse dormente por completo.

Fechei os olhos e senti o vento tocando cada parte do meu rosto, uma brisa agradável, quente. Sorri.

Eu me via de fora, como se pudesse me observar. Era uma sensação muito boa.

Acordei.

bloqueio – a chance das desculpas, onde fica?

Quando bloqueamos uma pessoa nas redes sociais ou no Whatsapp, é por não desejar manter contato. Porém, o que vejo em muitas discussões é que, incontáveis vezes, o bloqueio é utilizado como um “cala a boca”, onde a pessoa não pode sequer se defender, questionar, procurar saber o que aconteceu.
Você já levou bloqueio sem nem saber por que?
Eu já levei, várias vezes da mesma pessoa e até hoje busco as respostas. Obviamente, isso ainda me incomoda, não somente pela falta de oportunidade de expressar um ponto de vista ou simplesmente pra saber o que eu fiz de errado, mas eu porque eu sinto falta da amizade com a pessoa. Eu só queria saber onde eu falei o que não deveria sendo que, nesse caso, a última coisa que mandei era dizendo que não estava muito bem (tinha sido um dia cansativo), e perguntando se estava tudo bem por lá. Logo após questionei se havia feito algo errado e que seria bom saber o motivo, assim poderia evitar. Pronto, outro bloqueio.

Não tenho chance, nenhuma mínima oportunidade nem de saber onde que eu errei.
E um amigo também veio conversar comigo: duas gurias haviam simplesmente bloqueado sem que ele fizesse nada além de perguntar, de maneira não intrusiva, como estava o dia, o trabalho.

Você tem todo direito de não desejar mais alguém na sua vida, mas por consideração que um dia possa ter existido, o mínimo que pode oferecer é um esclarecimento. Assim, você ainda ajuda a pessoa a melhorar e repensar atitudes. Ou a desculpar-se.
É cruel deixar às escuras e mais cruel ainda é voltar como se nada tivesse acontecido. Pra quem vai: ignorar o problema é mais fácil, mas e quem fica?
As pessoas precisam de mais clareza, serem mais objetivas: se aquilo incomoda, fale. Se incomodou a ponto de querer que a pessoa saia da sua vida, deixe isso explícito, explique e pronto; se não quer uma resposta, seja claro. Espere que as coisas se acalmem um pouco, se for o caso. Diga que se chateou por algo, diga que não pode mais manter o contato. Tente escutar o outro lado se for possível.
Muitas atitudes são tomadas sem que a outra pessoa – eu, no caso – tenha a intenção de magoar, ferir, fazer algum mal.
Mesmo que não compreenda, a gente tenta respeitar, desde que tenha clareza, porque não dá pra adivinhar.
O bloqueio tira a voz, a oportunidade. Tente se por no lugar do outro.

Créditos: Vitor Teixeira

Créditos: Vitor Teixeira

Qual o significado de Spaceman – The Killers?

  • update em 15/02/2017.

    Acho que é possível perceber o quanto eu gosto de The Killers, afinal, o nome do blog e a própria ideia em si de voltar a escrever foi por causa de uma música deles, Read my Mind

Então, esses dias eu estava escutando a maravilhosa Spaceman e a letra dela me deixou intrigada. Afinal, o que significa? Estariam eles falando sobre abdução alienígena, mesmo? E mesmo se estiverem falando sobre aliens, algumas partes me deixaram um pouco confusa. Então fui ao site do Letras pra ver a tradução enquanto acompanhava a música e me deparei com um comentário, em que o moço dizia que a música se referia a uma tentativa fracassada de suicídio.

Confesso que eu posso se rum pouco mórbida a maior parte do tempo, então me interessei pelo significado parte a parte da música. Procurei no Google, mas não encontrei nada em português, então coloquei os termos em inglês e achei uma “dissecação” da letra ❤ Achei em um fórum e resolvi traduzir no meu inglês mais ou menos, aprendido sozinha através de músicas e videogames e com uma mãozinha do Translate porque começou a me cansar um pouco, haha. Thanks, Mark (o moço que comentou esta “teoria”.)

Colocarei a letra traduzida, pra facilitar o entendimento. :3

~

“Esta música não é sobre vício em drogas, é mais certamente sobre tentativa de suicídio e depressão. Eu amo esta canção, a poesia e metáforas são maravilhosas. A letra é ótima e verdadeira. Eu tenho adicionado comentários a cada trecho, com o contexto das letras nos termos da depressão e da tentativa de suicídio. A música começa com uma vítima de tentativa de suicídio acordando depois de ser salva (da tentativa).

Começou com uma luz fraca
Quando me dei conta, me arrancaram da minha cama
E aí eles pegaram meu tipo sanguíneo
Ficou uma estranha impressão na minha cabeça.

[A música começa com a vítima recuperando a consciência após uma tentativa de suicídio inferida. A pessoa primeiro percebe uma “luz fraca”, que eu imagino que refere-se à luz que é vista pela primeira vez da cama do hospital. Uma vez que ele acorda, a equipe médica o move da cama, tiram seu sangue. O verso sobre “uma estranha impressão na minha cabeça” pode se referir à confusão de estar voltando à realidade, ou eu penso que pode ser uma alusão ao método do suicídio, uma bala na cabeça, literalmente uma impressão (ferimento).]

Sabe, eu tinha esperança
De conseguir deixar pra trás esse mundo condenado
Mas quando eles me abriram
Acho que mudei de ideia.

[A pessoa reconheceu que tentou abandonar este mundo se matando. O verso “quando eles me abriram” refere-se à equipe médica salvando-o. (Se o suicídio foi por tiro na cabeça, a pessoa literalmente foi cortada para que a bala seja removida e o ferimento tratado, o que o salvou.) Então ele diz “Acho que mudei de ideia” sobre o suicídio, o que é um verso irônico porque uma vez que ele foi salvo, ele não tem outra escolha a não ser mudar de ideia. *comentário pessoal: geralmente uma pessoa que tenta suicídio não quer se matar de fato, então ao sobreviver ou ser salva, momentaneamente ela pode “mudar de ideia”.]

E, sabe, eu talvez
Tenha voado para longe demais do chão dessa vez
Porque estão me chamando pelo meu nome

[A pessoa está refletindo sobre sua decisão do suicídio e percebe que ele começou a perder o contato com o mundo e perder o chão. “E, sabe, eu talvez tenha voado para longe demais do chão dessa vez”. Neste verso, ele começa a se referir à sua depressão ou à sua luta interior com a depressão e angústia, que ainda está chamando.]

E os raios brancos passando num flash
Ignorando bombas e satélites
E aquela foi a hora da virada
Aquela foi uma noite solitária!

[A pessoa reflete sobre seus sentimentos confusos e sua mentalidade antes de decidir cometer a tentativa de suicídio, que foi “a hora da virada em uma noite solitária”.]

O criador de estrelas diz, “não é assim tão ruim”‘.

[O criador de estrelas é o típico torcedor otimista que vai tentar consolar a pessoa depressiva, e dizer que a vida “não é tão ruim” e tentará animá-lo.]

O criador de sonhos vai te enlouquecer“.

[O criador de sonhos refere-se ao tipo de suporte que tenta ser encorajador e tenta fazer a vítima pensar sobre o futuro e seus sonhos, o que é frustrante pro suicida, porque o criador de sonhos está tentando convencer o suicida a permanecer motivado.]

O homem do espaço diz ”todos olhem pra baixo”
Está tudo na sua mente“.
[O “Homem do espaço” refere-se ao psicólogo, que diz ao suicida que todos os sentimentos e percepções dele são causados por sua depressão e tentativa de suicídio, que toda a depressão está apenas na sua mente. O verso sugere que o psicólogo está tentando atrelar o problema sobre o suicida (“está tudo na sua mente”) e não com o mundo externo (“todos olham pra baixo, pra dentro”).]

*a tradução nos dois sites que busquei dizem “todos olham pra baixo” mas acredito que seja “olhem pra dentro”, pra si mesmos, então tomei liberdade pra “corrigir”. Continuemos.

Bem, agora voltei para em casa e
Estou ansioso para esta vida que vivo
Sabe, isso vai me assombrar
Então eu adiciono hesitação a essa vida

[Ele voltou para casa e foi reabilitado, e está fora da depressão patológica e da mentalidade que ele tinha antes da tentativa de suicídio. Ele pode olhar em frente para a vida, mas a memória de seu passado de depressão e tentativa de suicídio continuará a assombrá-lo e ele se preocupa que a depressão vá voltar.]

Você, que pensa que poderia fazer a travessia
Você está entre a cruz e a espada
É melhor você olhar direito
Antes de dar esse salto“.

[A vítima de suicídio recentemente reabilitada implora para o público que, baseado em sua experiência, que eles devem pensar muito sobre o desejo de cometer suicídio quando eles estão em um momento muito ruim em sua vida (“você está preso entre o diabo e o profundo mar azul.”- duas coisas muito ruins e assustador para estar entre). A vítima informa que qualquer um considerando suicídio, realmente deve pensar muito sobre isso antes de tentar fazê-lo].

E, sabe, estou bem
Mas escuto aquelas vozes à noite
Às vezes, isso justifica minha reclamação.

[A vítima afirma que ele está indo bem, mas sua depressão ainda está lá sob a superfície, as “vozes que ouve à noite que justificam a sua pretensão” é uma metáfora para a depressão que ainda fala com ele e tenta influenciar o seu comportamento.]

E o público não dá bola para a minha transmissão
Porque não foi televisionada…

[Eu amo este verso. É uma bela letra que é uma metáfora para o fato de que o mundo exterior não se preocupam com o indivíduo deprimido, porque a pessoa deprimida não projeta diretamente sua depressão para fora e o mundo não gasta tempo suficiente e não dão cobertura na situação dos indivíduos deprimidos.]

Mas aquela foi a hora da virada
Oh, que noite solitária!
[Outra reflexão sobre a noite da tentativa de suicídio].

O criador de estrelas diz, “não é assim tão ruim”
O criador de sonhos vai te enlouquecer
O homem do espaço diz ”todos olhem pra baixo”
Está tudo na sua mente!

O criador de estrelas diz, “não é assim tão ruim”
O criador de sonhos vai te enlouquecer
O homem do espaço diz ”todos olhem pra baixo”
Está tudo na sua mente!

Meus GPS’s são comandados por voz
Eles dizem que o Nilo costumava correr do leste para o oeste
Eles dizem que o Nilo costumava correr do leste para o oeste”.

[O ‘GPS comandado por voz’ é uma metáfora para a sua voz interior que o orienta, bem como a sua percepção do mundo. O verso sobre os GPS dizendo que o Nilo costumava correr de leste a oeste é outra metáfora. O Nilo, na realidade, vai do norte ao sul, e o fato de que seu GPS diz que o Nilo corre de leste a oeste é uma metáfora para a percepção do mundo não estar em sincronia com a realidade de sua mente, ele tinha perdido o contato com o mundo quando ele estava deprimido].

Eu estou bem
Mas ouço aquelas vozes à noite
Às vezes

[Mais letra introspectiva da vítima de suicídio, que ele está bem e ele está a controlar a sua depressão, mas ainda se sente depressão descansando sob a superfície.]

O criador de estrelas diz, “não é assim tão ruim”
O criador de sonhos vai te enlouquecer
O homem do espaço diz ”todos olhem pra baixo”
Está tudo na sua mente

O criador de estrelas diz, “não é assim tão ruim”
O criador de sonhos vai te enlouquecer
O homem do espaço diz ”todos olhem pra baixo”
Está tudo na sua mente

Está tudo na minha mente
Está tudo na minha mente“.

ei! obrigada!

obrigada por ter chegado, mesmo que tenha ido.

obrigada pelas músicas.

pelas conversas.

pelo conhecimento.

obrigada pelos animes.

obrigada pela distração quando eu precisava.

pela experiência.

obrigada por me ajudar a ver no que eu deveria melhorar.

e por eu ter melhorado em muitas coisas.

obrigada pelas conversas.

pelas brincadeiras, pelas risadas.

obrigada pelas oportunidades.

obrigada por você.

foi sim uma pena ter ido embora, mas muito obrigada pelo tempo. ❤

dialogosentido

cicatriz.

Amor é como machucado.

Quanto mais profundo, maior a dor, mais tempo demora pra cicatrizar.

Quanto mais profundo, maior a cicatriz, a marca que nos deixa. Talvez carregue um aprendizado ou um trauma: nunca mais se meter ali.

O amor é assim.

Na hora, dói mais. Talvez, precisamos de um amigo pra fazer o curativo, colocar um remédio, pra pelo menos por um tempo você esquecer. Às vezes remédio arde quando a gente passa em cima. Mas ajuda a melhorar mais rápido. Conseguimos nos distrair às vezes e esquecer aquele machucado, aquela dor.

Até que novamente sozinhos, lembramos da existência ali, e tiramos o curativo. Insistimos em cutucar, mesmo sabendo que não vai ser uma boa ideia.

Se o machucado for pequeno, de leve, até cicatriza rápido, talvez fique uma pequena marca, mas nada muito evidente. Se o machucado for muito intenso, muito profundo, até o processo de cicatrização incomoda, coça, dói. Lembramos o tempo todo que está ferido. Às vezes, é incontrolável e inevitável a vontade de mexer, de coçar, de puxar os curativos. Mesmo que seja sem querer.

Então, sangra de novo. A cicatrização se torna mais demorada e mais dolorosa. Muitas vezes se torna um certo tipo de vício, até que finalmente a gente aprende que quanto mais mexer, mais vai demorar, mais vai ferir.

Nos acostumamos com aquela dor, com aquele machucado, então mexemos cada vez menos, cada vez menos… ainda que lembre sempre que está ali. Pode continuar doendo, mas menos do que quando foi ferido.

Talvez ainda sinta que está ali, talvez fique marca irreversível, memorável.

Mas cicatriza.

Haaaaave you met me?

Já perdi as contas de quantos blogs eu já criei.

Por que toda essa migração de blogs? Eu acabo falando de muitas coisas, mas um assunto sempre acaba predominando. E o nome do blog nunca bate com nada, acaba se tornando mais um diário que qualquer coisa, então, escolhi um nome inspirado em uma música que eu estou viciada, “Can You Read My Mind?” do The Killers.

Assim, posso falar de mim, posso falar de seriados, músicas, ou o que quiser, porque o nome do blog não é específico pra um só assunto.

Não vou estabelecer metas, mas como esse é o primeiro blog aqui do WordPress que eu realmente não faço questão de me esconder atrás de pseudônimos, de certa forma tentarei não colocar tantos post’s muito pessoais. hehe

Enfim, vou eidtar o layout. Acho que me empolguei a escrever de novo, de certa forma preciso treinar.

(aliás, alguém entendeu a referência?)